REPOSIÇÃO
HORMONAL  BIOIDÊNTICA

Hormônios são substâncias químicas que transferem informações e instruções entre as células do nosso organismo

Hormônios são substâncias químicas que transferem informações e instruções entre as células do nosso organismo. Também chamados de “mensageiros químicos do corpo”, os hormônios regulam o envelhecimento no adulto, e o desenvolvimento na criança, controlam as funções de muitos tecidos, auxiliam as funções reprodutivas, e regulam o metabolismo (o processo usado pelo organismo para produzir energia a partir dos alimentos.

A maioria dos hormônios é lançada diretamente no sangue, onde circulam através do corpo. Os hormônios trafegam pelo sangue até atingirem seus tecidos-alvo, onde eles ativam uma série de alterações químicas. Para atingir um pretendido resultado, um hormônio precisa ser reconhecido por uma proteína especializada nas células do tecido-alvo, chamada de “receptor”, como se fosse num sistema de chave-fechadura. Quando um receptor e um hormônio se ligam, as moléculas de ambos passam por alterações estruturais que ativam mecanismos no interior da célula. Esses mecanismos produzem os efeitos especiais induzidos pelos hormônios. Ao serem utilizadas substâncias quimicamente diferentes, esta ligação fica prejudicada podendo a ligação nem ocorrer e estas substâncias podem então não exercer o efeito esperado.

Os hormônios bioidênticos são hormônios que têm exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos pelo nosso organismo, independentemente da fonte da qual se origina (assim pode ser natural ou sintética), por este motivo têm ação mais fisiológica e natural dentro do nosso organismo, entretando mesmo os hormônios bioidênticos devem ser utilizados respeitando dosagens fisiológicas em pacientes com deficiências.

A ligação de um hormônio não bioidêntica com o receptor da célula,
não é uma ligação completa.

A ligação de hormônio bioidêntico com o receptor da célula é completa.

Os hormônios começam a diminuir progressivamente de 1 a 3 % por ano por volta dos 25, 30 anos de idade, isto contribui para os sintomas do envelhecimento como cansaço, diminuição da memória, aumento de peso, diminuição da libido, aumento de flacidez e rugas, diminuição do humor e aumento do riscos de doenças do envelhecimento como câncer, Alzheimer, infarto e etc.

A compreensão exata (conhecimento, domínio e aplicação) da fisiologia das múltiplas quedas hormonais (pausas) com eficiência e segurança, constitui o mais alto grau de relevância para uma saúde ótima e longevidade saudável, e é isto que a Clínica Higashi referência em Ortomolecular e terapia hormonal no envelhecimento oferece.

Qual é a diferença entre Modulação Hormonal e Reposição Hormonal?

A reposição hormonal convencional visa substituir os hormônios que estão em níveis muitos baixos e traze-lo a um nível comparado com as indivíduos da mesma idade, necessita-se então doses mais elevadas de hormônios para reestabelecer a deficiência grave já instalada. Já na modulação hormonal o modo de tratamento é diferente pois o objetivo é  prevenir que os hormônios declinem ainda mais e evitar que eles se tornem deficiêntes graves, ou seja, reestabelecer o equilíbrio hormonal em pequenas doses hormônais e de maneira fisiológica.

A figura abaixo, exemplifica a curva dos níveis hormônais ( curva de Gauss). Na reposição hormonal convencional são considerados deficiência somente valores abaixo do porcentil 5 da curva de Gauss, ou seja, é desconsiderado  valores que estejam próximo de deficiência. Já na modulação hormonal podem ser considerados para tratamento valores entre 5 a 40 do porcentil da Curva de Gauss, dependendo dos sinais clínicos de diminuição hormonal  a qual indivíduo apresenta.

Função de alguns hormônios que existem na forma bioidêntica ao que existe no nosso organismo.

Hormônio Bioidêntico DHEA: é o hormônio mais abundante no corpo humano, a produção chega ao seu pico por volta dos vinte anos. Daí em diante, quanto mais envelhecemos, mais cai o seu nível de DHEA. Ao 40 anos, o organismo produz metade de DHEA que produzia antes. O DHEA aumenta a energia, melhora a função imune, melhora o humor, melhora a função cognitiva. Estudos sugerem que, quanto menor o nível de DHEA da pessoa, maior o risco de morte por doenças relacionadas com o envelhecimento. O DHEA que é produzido pela glândula adrenal serve como matéria-prima para a fabricação de todos os outros hormônios importantes como o cortisol.

Hormônios da Tireóide: Os hormônios tireoideanos agem em quase todas as células do corpo e controlam a taxa metabólica, os movimento do intestino (chamado de peristaltismo) e até mesmo a respiração celular. Quando envelhecemos os níveis de hormônios tireoidianos declinam. Baixos níveis de hormônios tireoidianos estão associados ao aumento da gordura corporal, diminuição da energia, frio em extremidades do corpo como mãos e pés, aumento do colesterol ruim e perda de memória.

Hormônio Testosterona Bioidêntica para homens: A testosterona no homem é um hormônio produzido principalmente testículos do homem, através do estímulo de hormônio LH produzido por uma glândula situada na base do cérebro chamada de hipófise. Com o envelhecimento exixte uma queda progressiva da produção da testosterona. A diminuição da testosterona esta ligada ao aumento do risco de doenças cardiovasculares, depressão, perda cognitiva, perda de massa muscular, aumento de gordura corporal e diminuição do libido e ereção masculina.

Hormônio Testosterona Bioidêntica na mulher: A testosterona apesar de ser um conhecido como “hormônio masculino” é encontrado tanto em homens como em mulheres, ainda que a quantidade de testosterona no corpo das mulheres seja muito menor, cerca de 20 a 30 x menos que nos homem, a testosterona na mulher têm fundamental importância na libido,  metabolismo de quebra de gorduras acumuladas como fonte de energia e ganho de massa muscular.

Hormônios Estrogênios Biodênticos: produção desse hormônio começa na adolescência, quando é responsável pelo aparecimento dos sinais sexuais secundários na mulher, e vai até a menopausa, quando existe uma queda abrupta da produção deste hormônio na mulher, já o homem apresenta níveis menores mas relativamente estável de estrogênio na vida adulta. Na menopausa a falta de estrogênio causa as ondas de calor, além de favorecer a depressão, perda de memória, perda lubrificação vaginal, perda da libido, diminuição do brilho da pele e uma redistribuição de gordura corporal para partes caracteristicamente mais masculinas, ou seja, na barriga e osteoporose. O estrogênio estimula o crescimento de todos os ossos longos  na adolescencia e fortalecimento ósseo na idade adulta. Estudos recentes têm associado a diminuição do estrogênio com o Mal de Alzheimer, considerando que estrogênio produzido naturalmente pelo nosso organismo é neuroprotetor.

Hormônio Bioidêntico Progesterona Micronizada: também conhecido como o hormônio “fell-good”. A progesterona  é produzida principalmente no ovários na mulher, testículos no homem e adrenais em ambos os sexos. A progesterona age em todo o corpo físico e emocional da mulher. Na parte emocional leva a mulher em um estado metal mais relaxado, sereno e sociavel, na parte física aumenta a densidade óssea ajudando a previnir a osteoporose, além de ser um diurético natural. É importante na mulher têr o equilíbrio entre o estrogênio e a progesterona na reposição hormônal.

Hormônio de Crescimento (GH) Biodêntico: também conhecido como “cell generator” ou ” hormônio master”.  Recentes estudos têm demonstrado que o GH pode reverter alguns aspectos importantes do envelhecimento. Baixos níveis de GH no adulto esta correlacionado a perda da qualidade de vida como cansaço, baixa auto estima, depressão,